domingo, 29 de novembro de 2009

DESMONTANDO A FRAUDE DO AQUECIMENTO

Enquanto os burocratas da ONU esfregam as mãos pensando no avanço da agenda socialista em Copenhague, um pacote revelador sobre a farsa do aquecimento global é tornado público pelas mãos de um hacker que, a meu ver, já faz parte da liga dos heróis anônimos da humanidade.

Ele entrou nos computadores da Unidade de Pesquisa Climática da Universidade de East Anglia, o maior centro de pesquisa sobre aquecimento global da Inglaterra, e coletou 61 megabites de documentos - planilhas, e-mails trocados por cientistas, PDFs, etc. - cuja autenticidade foi confirmada pelo diretor da unidade, Phillip Jones.

O que o hacker (ou, talvez, funcionário do laboratório) encontrou e jogou na internet é extremamente revelador. A máfia é grande. Atenção, fiéis da nova religião. Os documentos mostram:

Conspiração, conluio para exagerar dados sobre o aquecimento, destruição de informação embaraçosa, resistência organizada à revelação dos dados comprometedores, manipulação de dados e confissões em privado de erros em declarações públicas.
Os e-mails foram trocados por cientistas conceituados, desses que avisam dia e noite que os mares vão subir três metros, que a humanidade tem que se oferecer em sacrifício à cúpula globalista da ONU, que devemos renunciar ao capitalismo e à democracia, que o mundo tem hora marcada para acabar. Só o Al Gore pode nos salvar!

O conteúdo dos documentos vazados já está sendo classificado como o maior escândalo da ciência moderna. Que coisa linda. Agradeçam ao hacker herói. De qualquer forma, a operação Copenhague segue firme. A pregação histérica e mentirosa na imprensa, fabricada nos escritórios da ONU, só vai aumentar. Observem.

Aproveito para recomendar a entrevista dada pelo professor José Carlos Parente de Oliveira deu ao jornal Diário do Nordeste de 15 de novembro. Ele é Doutor em Física com Pós-doutorado em Física da Atmosfera e ensina na Universidade Federal do Ceará (UFC). Trechos:

"DN - Por que o senhor caminha na contramão do ambientalmente correto e proclama que o planeta não está aquecendo, mas esfriando?A busca da verdade deve ser o norte, o foco da atividade em ciências. E penso que não é isso o que ocorre com o tema aquecimento global. A sociedade está sendo bombardeada por notícias, reportagens na tevê, filmes e tudo isso com a mensagem de que as atividades humanas relacionadas às queimas de combustível fóssil (petróleo, carvão e gás) são as culpadas pelo aquecimento da Terra. O grande responsável por esse bombardeio é o Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC na sigla em inglês), que é um órgão da ONU.

DN - Então, em vez de estar aquecendo, a Terra está esfriando agora? Mas isso é o contrário do que proclamam as ONGs, os cientistas, os jornais. Quem está errado?No ano de 1998, houve um fenômeno atípico: um super El Niño aqueceu a terra quase um grau acima da média em que ela se encontrava. Desde esse fenômeno do El Niño, a temperatura da Terra, sistematicamente, vem diminuindo, conforme os dados coligidos pelos satélites. Esses dados, porém, não são aceitos e nem utilizados pelo IPCC nos seus documentos".
Por Bruno Pontes
Fonte: Midia Sem Mascaras

O COLAR DO DESASTRE

Por Reinaldo Azevedo

A VEJA desta semana traz uma reportagem sobre o aumento da produção de cocaína na Bolívia depois da ascensão de Evo Morales, aquele que Lula chama de “querido” e a quem deu de presente uma refinaria da Petrobras. Leiam um trechinho:

Em quatro anos, a produção de pasta-base de coca e de cocaína na Bolívia aumentou 41%. A maior parte é traficada para o território brasileiro, onde abastece o vício, a criminalidade e a corrupção. Muita droga entra no Brasil, proveniente dos vizinhos produtores e destinada a outros consumidores, mas a que fica é, majoritariamente, a boliviana, de pior qualidade. Das 40 toneladas de cocaína consumidas anualmente no país, mais de 80% são da Bolívia.

Eu a publiquei neste blog no dia 25 de agosto, com este texto:


Lula foi à Bolívia, justamente ao departamento que responde pela produção de grande parte da cocaína que se consome no Brasil, e discursou em favor de Evo Morales. Mais do que isso: ofereceu-lhe dinheiro.
Ainda que fosse verdadeiro o discurso vigarista de que a folha de coca serve principalmente à tradição cultural dos índios, os nativos em questão são da Bolívia. Lula não tem nada com isso. No que nos diz respeito, aquele troço que ele traz no pescoço remete a uma rotina que mata milhares de pessoas por ano, que espalha flagelo nas ruas e nos lares.Esse colar é um delírio de onipotência e uma irresponsabilidade.
Essa foto tem de ser editada ao lado dos muitos cadáveres que assombram o cotidiano brasileiro, frutos do tráfico de drogas. Lula acredita que sua popularidade lhe dá o direito de financiar um governo que, na prática, se associou ao narcotráfico. Tudo em nome da união dos países da América do Sul contra os… EUA!!!Não há escapatória: os colares que se vêem acima são para cheirar, não para enfeitar.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

BEM-AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS

O famoso escritor francês Victor Hugo, em sua monumental obra, “Os miseráveis” conta a história de Jean Valjean, um ex-presidiário, que recomeça a sua vida de crime roubando. Não obstante ter recebido abrigo na casa de um bispo, o qual o recebeu como a um filho, Valjean pecou contra a bondade de seu benfeitor. Embora tenha recebido alimento, abrigo, roupa e mais do que isso, respeito, dignidade e afeto; na calada da noite, Jean furta a prataria da casa do bispo e foge.

Ao acordar a governanta da casa sente a falta do que fora subtraído e vai informar ao bispo, enquanto ele é informado, a polícia chega à porta com Jean Valjean preso sob custódia e nas mãos do oficial a prataria furtada. Para a surpresa de todos, sobretudo de Jean Valjean, o Bispo, diz: Ó meu amigo, como você pode esquecer os candelabros de prata, além da prataria eu quero que você leve esses candelabros.

O bispo se aproxima dele e sussurra aos seus ouvidos: “Com esses candelabros eu estou comprando a sua liberdade. Dedique sua vida a glória de Deus”. O bispo usou de misericórdia, e Jean Valjean, foi transformado pela misericórdia de Deus expressa através de seu servo, o bispo. Victor Hugo vai nos apresentar um novo Jean Valjean. A partir desse momento do livro o que se percebe é o poderoso impacto transformador da misericórdia sobre aquele homem. Ele passou a ser misericordioso com todas as pessoas com as quais ele se relacionou. A misericórdia de Deus habilitou aquele homem a ser misericordioso.

Todo homem deveria ser misericordioso, porque tem sido alvo da misericórdia de Deus. Todavia, nós vivemos num tempo em que a misericórdia parece ter desaparecido da terra. As pessoas são vingativas, rancorosas, implacáveis. É triste constatar que muitas vezes nós que confessamos ser cristãos, sejamos tão pouco misericordiosos. Estou certo de que Valjean tivesse caído não mãos de muitos de nós, ele teria visto em nossos olhos a ira e não misericórdia.

Em seu famoso sermão da montanha, o Senhor Jesus dá uma aula sobre o que é ser cristão e o que se espera do cristão. Se você observar, as quatro primeiras bem-aventuranças tratam da nossa relação diante de Deus. Mas a partir da quinta bem-aventurança, nosso Senhor passa a descrever a nossa ação diante dos homens e para com os homens. As primeiras tratam da questão do ser, esta, e a partir desta, progride para a questão do fazer.

Nosso mestre está nos ensinando um princípio fundamental da vida cristã, tantas vezes ignorado. No Cristianismo o ser vem antes do fazer. Quem é, faz. A fé sem obras é morta. “O crente é alguma coisa, antes de fazer qualquer coisa; e assim, precisamos ser crentes, antes de podermos agir como crentes”. Martin Lloyde Jones

Deve ter sido uma experiência inesquecível para todos os discípulos de Jesus ouvi-lo dizer:
BEM-AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS, PORQUE ALCANÇARAM MISERICÓRDIA. Mateus 5.7

A VIDA EM 40 SEGUNDOS

Lembrem-se:

"A vida já é curta e nós a encurtamos ainda mais desperdiçando o tempo”. Vitor Hugo

video

terça-feira, 24 de novembro de 2009

JESUS CRISTO, NOSSA ESPERANÇA


Um dos mais famosos e influentes filósofos do mundo, Immanuel Kant, disse que uma das questões básicas da vida é a seguinte: “O QUE PODEMOS ESPERAR?”

Brilhantemente Kant indica que o ser humano precisa de esperança e anseia por ela. O que podemos esperar é uma das questões fundamentais da vida humana.

Políticos, sociólogos e economistas sabem que todos nós temos essa necessidade e por isso o discurso político, sobretudo em época de eleição, é sempre otimista. A promessa é que a vida vai melhor! Esse otimismo cego, fundamentado na areia da ilusão, jamais deve ser confundido com a glória e a beleza da esperança cristã.

No século 19 houve o que é chamado de virada antropológica. Até então, mesmo sofrendo uma histórica e contínua oposição, a doutrina bíblica do pecado, exercia forte influencia sobre o ocidente. Por causa da realidade do pecado, as pessoas acreditavam que necessitava da graça de Deus para fazer o bem e da espada da lei para não fazer o mal.

Mas tudo mudou, sobretudo pela influencia da filosofia de um suíço chamado Jean Jaques Roussou. Ele escreveu um livro que o projetou no cenário intelectual europeu. O seu livro “O Contrato Social” é aberto com a famosa frase: “O homem nasce livre e em todos os lugares está acorrentado”. Segundo ele, as instituições, a regras, os costumes e as tradições impediam as pessoas de viverem livres.

Sua mensagem, ecoada através de muitos outros pensadores, era que o homem é por natureza uma pessoa boa, o que o corrompe é o ambiente. O conceito bíblico de pecado foi deixado para trás e uma nova era foi inaugurada.

Com desenvolvimento econômico, avançada educação, sucessos tecnológicos, descobertas científicas nos mais diversos campos do saber, e sobretudo, com as riquezas deste mundo, o homem poderia ao invés de aguardar o céu, trazê-lo à terra. Nascia, entre outras filosofias, o positivismo, que inclusive influenciou o Brasil. Ordem e progresso! É o lema positivista estampado na bandeira nacional. A idéia é que havendo ordem o progresso será inevitável.

O liberalismo teológico seguindo o processo de secularização do ocidente propagou a utopia de que o paraíso seria construído pelos próprios homens. Um jornal foi fundado para difundir essas idéias e o próprio nome sugeria a pretensão deles: “O Século Cristão.”

Chegamos ao final do século XIX e o mundo estava entusiasmado com a grandeza das conquistas humanas. Parecia que o homem iria instaurar o milênio na terra com sua própria capacidade. As missões evangélicas enviavam missionários para o mundo inteiro, influenciados pelo pós-milenismo, que acredita que o mundo vai melhorando com a pregação do Evangelho até que Cristo venha.

Foi nesse tempo que surgiram seitas triunfalistas como OS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA, marcando a vinda de Cristo para 1914. Cristo está chegando! A época do apogeu já chegou! Surgiu A IGREJA DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS. Estamos no fim, era o brado de todos. A tese de que o mundo estava melhorando a cada dia era quase que universalmente aceita.
O século 20 começou com a utopia de que éramos todos basicamente bons e sábios para construir um mundo perfeito.

Tudo parecia ir muito bem até que o mundo foi envolvido em duas Grandes Guerras e uma série de outros conflitos bélicos que matou milhões de pessoas, sepultando o otimismo dos homens.

A Primeira guerra mundial inaugurou o uso da tecnologia para matar. 60 milhões de civis na Europa foram mortos nessa carnificina.

Em 1939 explode a segunda guerra mundial, esta sim, uma guerra mundial. Itália, Alemanha e Japão, os países do eixo se unem para lutar contra o mundo inteiro. Ao todo 40 milhões de soldados mortos. Um incontável número de civis e povos inteiros foram massacrados. Quem pode se esquecer do Holocausto? Mais de 6 milhões de judeus perderam a vida. Foi uma guerra terrível. Alemanha e Itália foram arrasadas. O Japão sofreu o abalo da bomba atômica. O mundo conheceu que o homem com todo o seu avanço ainda era um ser odioso, perigoso e não confiável.

Por conta de tudo o que aconteceu nos primeiros 50 anos do século 20, o otimismo utópico cedeu lugar ao desespero. Surgia a filosofia existencialista que afirmava não existir propósito autêntico para o homem. Jean Paul Sartre, o mais infeliz dos filósofos do século 20 e um dos propagandistas da desesperança disse que “o homem é uma bolha vazia no mar do nada.”

Sartre está certo? Não há sentido e propósito na vida? Não há nada de bom para se esperar?

De fato se colocarmos nossa esperança no processo sócio-político e econômico entraremos em desespero. Vão é o socorro dos homens. Paulo escrevendo aos efésios diz que o homem sem Cristo, não tem esperança e vive sem Deus no mundo.

“Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida somos os mais infelizes de todos os homens”. 1 Co 15.19

Há esperança real e verdadeira é a pessoa bendita de nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus. Paulo disse a Timóteo: “Cristo Jesus, nossa esperança” (1 Tm 1.1) A esperança é um presente de Deus a igreja e o seu nome é Jesus Cristo.

sábado, 21 de novembro de 2009

É SÓ UMA QUESTÃO DE TEMPO

WASHINGTON (Reuters) - A taxa de aprovação ao governo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, caiu abaixo dos 50 por cento, em uma segunda pesquisa nesta semana, numa indicação de que sua popularidade está sendo afetada por um longo debate sobre o sistema de saúde e pelo enfraquecimento da economia, informou nesta sexta-feira o Instituto Gallup.

Segundo o Gallup, 49 por cento dos norte-americanos aprovam o desempenho de Obama. Uma outra sondagem divulgada na quarta-feira, da Quinnipiac University, mostrou números semelhantes, apontando 48% de apoio a seu governo.
É a primeira vez que Obama não tem o apoio da maioria. Depois de tomar posse, em janeiro, com taxa de aprovação pouco abaixo de 70 por cento, ele ficou meses um pouco acima de 50 por cento.

Na avaliação do Gallup, a queda de Obama na pesquisa, feita com base num levantamento diário, resulta provavelmente do acalorado debate sobre o sistema de saúde, bem como da má situação da economia dos EUA, que levou milhões ao desemprego.



"Os norte-americanos também estão preocupados com a dependência do governo dos gastos públicos para resolver os problemas no país e o crescente déficit orçamentário," assinalou o Gallup, que ouviu 1.533 pessoas de terça a quinta-feira. A margem de erro é de 4 pontos.
Desde a Segunda Guerra Mundial, Obama é o quarto presidente a ter atingido mais rapidamente uma aprovação inferior a 50 por cento em pesquisas do Gallup.

(Reportagem de Steve Holland)
Publicado no Yahoo no dia 21 de novembro de 2009

Nota: Obama vai entrar para a história como a maior fraude eleitoral dos EUA. É só uma questão de tempo para os americanos descobrirem (boa parte já sabe disso) que eles cometeram autofagia. Nas palavras de Heitor de Paula, o que está acontecendo na América é o "suicídio da Águia". Vale apena ler o artigo publicado no site Mídia sem máscara:

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

SOLIDÃO, O VAZIO DE RELACIONAMENTOS


Por Hernandes Dias Lopes

A solidão é o apanágio da geração contemporânea. Somos experimentados no relacionamento com as máquinas e inexperientes no trato com as pessoas. Vivemos cercados de gente e ao mesmo tempo, como uma ilha existencial, somos profundamente solitários. A solidão não é simplesmente uma questão de viver no ostracismo, à margem dos relacionamentos interpessoais, mas uma atitude interna, uma inadequação para esses relacionamentos. Há indivíduos solidários que vivem no meio da multidão, mas que não conseguem construir pontes de contato com as pessoas. Quando um dos grandes vultos da música popular brasileira, Roberto Carlos, foi interrogado acerca da pior coisa que lhe poderia acontecer, ele respondeu sem hesitar: a solidão. A solidão atinge grandes e pequenos, ricos e pobres, doutores e analfabetos.


Emile Durkhaim, ínclito sociólogo francês, chegou a afirmar que o suicídio, a maior agressão contra si mesmo, é uma inadequação social. É a incapacidade de inserir-se no convívio social e relacionar-se com as pessoas de modo a criar vínculos de amor e amizade. Vivemos numa sociedade doente. Na mesma proporção que cresce a população do mundo, aumenta a solidão das pessoas. Os grandes centros urbanos fervilham de pessoas que se acotovelam todos os dias em imensas aglomerações humanas, mas essas pessoas são rostos sem nome e sem identidade: uns que vão, outros que vêm e todos que passam.
A solidão não está apenas do lado de fora da família; está também dentro do lar. A televisão ocupou o lugar da conversa ao redor da mesa. A internet preencheu o espaço do diálogo cheio de intercâmbio das idéias. O telefone celular nos conecta com o outro, do outro lado da linha, mas nos afasta daqueles que estão ao nosso derredor. Vivemos no paraíso das comunicações virtuais, mas transformamos esse jardim cheio de raras belezas num deserto de relacionamentos vazios e carente de significado. Transformamos o palácio da cibernética na masmorra da solidão.


Não precisamos jogar pela janela as conquistas da ciência. Não precisamos viver paquerando nostalgicamente o passado que se foi. Mas, precisamos urgentemente, preservar os valores do passado, usar com racionalidade as conquistas do presente e estabelecer metas elevadas de comunhão para o futuro. Não podemos transformar o conforto da tecnologia em armas mortíferas contra nós mesmos. É tempo de buscarmos as primeiras coisas primeiro. É tempo de realinharmos nossas prioridades de conformidade com a prioridade de Deus. É tempo de entender que devemos adorar a Deus, amar as pessoas e usar as coisas em vez de amarmos as coisas, usarmos as pessoas e nos esquecermos de Deus. Pessoas valem mais do que coisas. Família é mais importante do que sucesso. Relacionamento sadio na família, na igreja, no trabalho e na escola é melhor do que a solidão na masmorra luxuosa da sofisticada tecnologia contemporânea.Deus não nos criou para a solidão, pois fomos feitos à sua imagem e semelhança.

Deus é Triúno e plenamente feliz em si mesmo. As três pessoas da Trindade relacionam-se em perfeita harmonia. O projeto de Deus é que vivamos em profunda comunhão com ele e uns com os outros. A solidão é uma negação dessa semelhança divina, uma conspiração contra essa vocação celestial, uma oposição radical contra esse sublime desiderato. Não somos apenas uma gota desse vasto oceano da humanidade. Não somos apenas um rosto sem nome no meio da multidão; somos alguém especial, criados de forma especial, para um propósito especial, para vivermos de forma abundante, maiúscula e superlativa a realidade bendita da comunhão íntima e profunda com Deus, com a família e com a igreja.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O CONGRESSO BRASILEIRO VAI PISOTEAR A MEMÓRIA DE SEIS MILHÕES DE MORTOS?

Por Reinaldo Azevedo


Na segunda-feira que vem, Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irâ, chega ao Brasil, em visita oficial. Atenção! O convite foi feito pelo presidente Lula e pelo Itamaraty. Shimon Peres, presidente de Israel, teve de praticamente SE convidar para visitar o Brasil. Entendo. É que Peres preside o único país democrático do Oriente Médio, onde Lula nunca esteve. É que ele já demonstrou a sua queda por ditaduras. São poucos os regimes de força do mundo onde ele não deixou seu rastro, dada a obsessão bocó de angariar apoio para obter uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU. Peres foi obrigado a ouvir o conselho de Lula, o sábio, para se entender com o governo do Irã — governo que, notem bem, não reconhece a existência de Israel e fala em varrê-lo do mapa.


Ahmadinejad não é apenas um criminoso de lesa humanidade que nega o holocausto dos judeus. Ele é também o líder de um governo que financia os terroristas do Hezbollah no Líbano e do Hamas nos territórios palestinos. No momento, seu governo desafia o mundo com um programa nuclear secreto. Na política interna, foi reeleito num pleito que até os aiatolás do Conselho da Revolução Islâmica consideraram fraudado. Não obstante, reprimiu os opositores com cadeia, tortura e mortes. Só o “aiatolula” não viu problema nenhum na disputa e ainda considerou que os protestos da oposição do Irã eram coisa de torcedor de futebol que vê seu time perder — com a profundidade e a elegância costumeiras.


Celso Amorim, o Megalonanico, enviou à Câmara e ao Senado um pedido para que o negador do Holocausto e financiador do terror visite as duas Casas. Se houver um mínimo de dignidade por lá, a resposta é “não”. Um Parlamento, quando recepciona um chefe de estado, não concorda com as suas idéias necessariamente, sei disso. Mas o caso de Ahmadinejad não é de “idéias”. Reitero: ele comete um crime — na verdade, dois — de lesa humanidade: 1) quando nega o Holocausto; 2) quando financia o terrorismo.

Se o Congresso brasileiro resolver sapatear sobre a memória de seis milhões de cadáveres, espero que os congressistas que tenham compromisso com a democracia virem as costas para Ahmadinejad. Havendo homens com coragem por ali, que a bandeira de Israel seja aberta em plenário. É preciso que este senhor saiba que, no Brasil, só uma minoria aceita dialogar com suas idéias criminosas.
Gente decente tem de protestar contra a presença deste senhor no Brasil!

Peço que entidades que estejam programando protestos contra a visita de Ahmadinejad me enviem hora e local dos eventos. Faço questão de divulgá-los.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

MEU DEUS, O QUE É ISSO?


Me ajudem a entender essa cena de horror.
Seria esse um caso para um delegado de polícia resolver (estelionato, charlatanismo)?
Seria uma situação que exige tratamento psiquiátrico ( um problema patológico, quem sabe uma esquizofrênia paranóide, caracterizada por sintomas de alucinações e enganos) ?
Seria "apenas" um caso de natureza moral espiritual, mais um como tantos outros que acontecem ao longo dos séculos em cumprimento as profecias bíblicas?
A Bíblia, que é a Palavra da verdade, nos exorta a manter a vigilância:
Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora. 1 João 4:1
Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Mateus 7:15
Senhor Deus,
Livra a tua igreja dos impostores, cujas obras negam o evangelho.
Concede aos teus filhos discernimento espiritual para não darém crédito a mentira.
Ajuda os patores a apascentar o rebalho e a espantar os lobos.

AMBRÓSIO COMENTA O ENSINO DE JESUS

Todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, mulher, filhos ou terras por causa do Meu nome, receberá cem vezes mais (Mt 19, 29)

Se compreendermos que a religião vem em primeiro lugar e a piedade filial em segundo, compreenderemos que esta questão se esclarece; com efeito, é preciso fazer passar o humano depois do divino. Porque, se temos deveres para com os pais, quanto mais para com o Pai dos pais, a quem devemos estar reconhecidos pelos nossos pais? [...] Ele não diz, portanto, que é preciso renunciar aos que amamos, mas que há que preferir Deus a todos. Aliás, encontramos noutro livro: «Quem amar pai ou mãe mais do que a Mim não é digno de Mim» (Mt 10, 37). Não te é interdito amares os teus pais, mas preferi-los a Deus. Porque as relações naturais são benefícios do Senhor, e ninguém deve amar os benefícios recebidos mais do que a Deus, que preserva os benefícios que dá.

Santo Ambrósio (c. 340-397), Bispo de Milão e Doutor da Igreja
Comentário ao evangelho de Lucas, 7, 134(a partir da trad. cf. SC 52, pp. 55ss.)

Fonte: Evangelho Cotidiano

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

UM DIA VOCÊ APRENDE!

video

Wiiliam Shaskespeare é um dos mais notáveis poetas de todos os tempos. Esse vídeo é uma edição de uma linda poesia que nos envolve e nos faz refletir acerca de profundas questões da existência humana.

Assista e divulgue.

A paz.

UM CLAMOR POR LIBERTAÇÃO

PAI CELESTIAL,
Salva-me completamente do pecado.
Sei que não sou justo por minha própria justiça,
mas almejo e anseio ser semelhante a ti;
Sou teu filho e devo espelhar tua imagem,
Capacita-me a reconhecer minha morte para o pecado;
A estar surdo para os seus apelos, quando ele me tenta.
Livra-me do ataque e do domínio do pecado.

Concede que eu possa andar como Cristo andou,
viver na novidade de sua vida,
a vida de amor, a vida de fé,
a vida de santidade.

Aborreço meu corpo de morte,
sua indolência, inveja, maldade, orgulho.
Perdoa, e extermina tais vícios,
tem misericórdia da minha incredulidade,
do meu coração corrupto e vacilante.

Quando tuas bençãos me sobrevêm, começo a idolatrá-las,
e ponho minha afeição em qualquer objeto querido —
filhos, amigos, riqueza, honra;

Purifica-me deste adultério e concede-me castidade espiritual;
lacra meu coração para tudo que não tu mesmo.
O pecado é meu grande mal;
Que tua vitória sobre ele seja clara à minha consciência,
e visível em minha vida.

Ajuda-me a ser sempre devoto, confiante, obediente, resignado,
confiando em ti como uma criança em seu pai,
a amar a ti com alma, corpo, mente, força,
a amar o meu próximo como a mim mesmo,
a escapar do temperamento pecaminoso, pensamentos críticos,
palavras difamadoras, maldades, descortezias,
instrui minha língua e vela à porta dos meus lábios.

Enche-me diariamente com graça,
para que minha vida seja um mar de água doce.

UMA ORAÇÃO PURITANA
Fonte: www.monergismo.com

Surpresa! PLC 122 é aprovado na Comissão de Assuntos Sociais do Senado

Enquanto a população está distraída com a novela da enquete do Senado, PLC 122/06 é levado à votação apressada, sem passar por pauta

Por Julio Severo

Hoje, dia 10 de novembro, foi dia de susto no Congresso Nacional. Foi repentinamente aprovado na Comissão de Assuntos Sociais do Senado o PLC 122/06, que estava programado para passar por mais duas audiências nessa comissão. Essas duas audiências agora são desnecessárias, pois a senadora petista Fátima Cleide conseguiu colocar o projeto para votação sem comunicar na pauta normal de votação de hoje.

Enquanto a bancada evangélica estava elaborando seus argumentos para os debates das audiências e enquanto o Brasil estava distraído com a enquete do Senado e suas desculpas, Fátima Cleide e seus aliados passaram a perna em todos.

O sistema automático do Senado, que avisa os assinantes das votações a se realizar, nada comunicou ao Brasil.

O esquema de Cleide foi tão ardiloso que até mesmo no Senado os opositores do PLC 122/06 não tinham a mínima consciência de que sua votação ocorreria hoje, descansando tranquilamente na idéia de que havendo mais duas audiências programadas, seria impossível uma votação repentina.

O PLC 122/06 que foi maliciosamente aprovado hoje contém modificações elaboradas juntamente com o Senado Marcelo Crivella, pois em sua forma anterior o projeto estava enfrentando mais dificuldades para avançar. A fim de facilitar seu avanço, a negociação com Crivella adicionou idosos, deficientes e até evangélicos ao projeto, que mesmo assim continua com sua carga explosiva de favorecimento ao homossexualismo e ameaça de perseguição ao direito de livre expressão contra a conduta homossexual.

Se o PLC 122/06 for totalmente aprovado no Congresso, pregações contra o homossexualismo cairão na categoria de “incitação à homofobia”, e mesmo sem nenhuma lei semelhante ao PLC 122/06, pastores e padres já estão sendo ameaçados no Brasil. O Pr. Ademir Kreutzfeld, da Igreja Luterana de Santa Catarina, recebeu uma intimação em 2007 apenas por se opor ao homossexualismo.

O PLC 122/06 seguirá agora para a Comissão de Direitos Humanos e, se a senadora petista prosseguir nas suas ações “honestas”, terça-feira próxima (17 de novembro) haverá mais uma votação surpresa. Mesmo com a população brasileira sendo 99% contra o homossexualismo e mesmo sendo normal que haja debates, é impossível predizer quantos truques na manga Fátima Cleide irá usar para vencer esses “obstáculos”.

Com a ajuda dela, os ativistas homossexuais estão dispostos a usar qualquer manobra para aprovar o PLC 122/06, inclusive adicionando idosos, deficientes e evangélicos e inclusive colocando-o para votação sem pauta e sem a participação democrática de parlamentares que poderiam votar contrariamente aos interesses dos que têm um único objetivo: impor goela abaixo da população a ideologia homossexual.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

PRIMEIRO MANIFESTO INTERNACIONAL CONTRA O COMUNISMO

Graça Salgueiro, em seu blog Notalatina, apresentou aos seus leitores uma santa petição pedindo a justa condenação do comunismo por crimes de lesa-humanidade. Esse importante documento foi elaborado em Praga, capital da República Checa, que por muitos anos foi subjugada pelos comunistas. Os autores desse documento de protesto, entre eles o notável Václav Ravel, conhecem por experiência própria que o comunismo é um regime essencialmente maligno.

Devemos reconhecer que “uma petição desta envergadura não pode circunscrever-se aos países do Leste Europeu mas a todos aqueles que se solidarizam com suas vítimas, que condenam com veemência este genocídio e que também não desejam ver em seus países mais sangue inocente derramado por criminosos psicopatas desta estirpe. Lembrem-se de Cuba e a Venezuela aqui do nosso lado, pois nós também corremos este risco, como todos sabem”.

A Declaração de Praga condena o comunismo por crimes contra a humanidade. O nacional-socialismo alemão converteu-se na cara exclusiva do Mal no mundo. As embaixadas da Alemanha e de Israel, assim como o imprensa, protestaram porque um museu de cera na Tailândia usou como anúncio uma reprodução de Adolf Hitler. Ninguém, entretanto, teria protestado se a imagem em questão fosse de Joseph Stalin. Inclusive é habitual cruzar-se com gente que leva orgulhosa em sua camiseta a cara de um certo terrorista denominado Che Guevara. A Declaração de Praga quer acabar com essa impunidade do comunismo.

Onde há governo ou onde tratou de fazê-lo, o comunismo cometeu genocídios e matanças sem conta, como a morte por fome de ao menos sete milhões de ucranianos ou a matança de Paracuellos del Jarama. A soma de mortos pelos criadores do Homem Novo supera os cem milhões de seres humanos. Todos conhecemos os campos de concentração do III Reich alemão mas, ao contrário, os lugares do horror comunista na URSS ou na China são quase desconhecidos.
Pouco a pouco se vai quebrando essa impunidade intelectual. Em abril passado, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução na qual se propunha a adoção do dia 23 de agosto como o dia do pacto entre Hitler e Stalin, pelo qual ambos os ditadores repartiam o Leste Europeu, como o Dia da Lembrança das Vítimas dos Totalitarismos.

Em Praga, cidade que sofreu os totalitarismos nazista e comunista, surgiu o projeto da Declaração de Praga. Nela se exorta autoridades e cidadãos europeus a criar o Instituto da Memória e Consciência da Europa que informe e investigue o comunismo e o nazismo, e um museu pan-europeu das vítimas de todos os regimes totalitários. Como afirmam seus criadores, não haverá uma Europa unida se não for capaz de antes unificar sua história e reconhecer o comunismo e o nazismo como movimentos responsáveis por genocídios.

Convidamos nossos leitores a ler a Declaração de Praga e a assiná-la. (Eu assinei essa declaração de condenação ao comunismo (meu número foi o 5.734). Aqui há a parte essencial de seu conteúdo:

DECLARAÇÃO DE PRAGA.

Tendo em conta o futuro digno e democrata de nossa comum pátria européia,

- Considerando que as sociedades que esquecem seu passado carecem de futuro;

- Considerando que a Europa não se unirá a menos que seja capaz de unificar sua história, de reconhecer o comunismo e o nacional-socialismo como um legado comum e de conseguir um
debate sincero e profundo sobre todos os crimes totalitários do século passado;

- Considerando que a ideologia comunista é diretamente responsável por crimes contra a humanidade;

- Considerando que a má consciência que se deriva do passado comunista é uma pesada carga para o futuro da Europa e para nossos filhos;

- Considerando que diferentes valorações do passado comunista ainda podem dividir a Europa em Ocidente e Oriente;

- Considerando que a unidade européia foi uma resposta direta às guerras e à violência causada pelos sistemas totalitários no continente;

- Considerando que a consciência dos crimes de lesa-humanidade cometidos pelos regimes comunistas em todo o continente deve informar a todas as mentes européias, na mesma medida que os crimes do regime nacional-socialista;

- Considerando que existem similitudes entre o nacional-socialismo e o comunismo no que se refere a seus caráter horrível e espantoso, e a seus crimes contra a humanidade;

- Considerando que os crimes do comunismo ainda necessitam ser avaliados e julgados desde os pontos de vista jurídico, moral e político, assim como do ponto de vista histórico;

- Considerando que tais crimes foram justificados em nome da teoria da luta de classes e do princípio da ditadura do proletariado, que utilizam o terror como método para preservar o poder dos Governos que o aplicaram;

- Considerando que a ideologia comunista foi utilizada como uma ferramenta em mãos de imperialistas na Europa e na Ásia para alcançar seus planos expansionistas;

- Considerando que muitos dos autores que cometem e cometeram crimes em nome do comunismo ainda não foram levados ante a justiça, e suas vítimas ainda não foram indenizadas nem satisfeitas;

- Considerando que o objetivo de proporcionar informação completa sobre o passado totalitário comunista, que conduza a uma compreensão mais profunda e ao debate é uma condição necessária para a futura integração de todas as nações européias;

- Considerando que a reconciliação definitiva de todos os povos europeus não é possível sem um esforço potente para estabelecer a verdade e para restaurar a memória;

- Considerando que o passado comunista da Europa deve ser tratado a fundo, tanto na academia como ao público em geral, e as gerações futuras devem ter fácil acesso à informação sobre o comunismo;

- Considerando que em diferentes partes do mundo só uns poucos regimes totalitários comunistas sobrevivem, porém que, todavia, oprimem aproximadamente a um quinto da população mundial, e ainda se aferram ao poder cometendo delitos e impondo um alto custo para o bem-estar de seus povos;

- Considerando que em muitos países, apesar de que os partidos comunistas já não estão no poder, não se distanciaram publicamente dos crimes dos regimes comunistas nem os condenaram;

- Considerando que Praga é um dos lugares que sofreu tanto com o nazismo quanto com o comunismo,

Estando convencidos de que os milhões de vítimas do comunismo e suas famílias têm direito a desfrutar da justiça, da solidariedade, da compreensão e do reconhecimento de seus sofrimentos da mesma forma que as vítimas do nazismo foram moral e politicamente reconhecidos,
Nós, os participantes da Conferência de Praga Consciência européia e o comunismo,

- Ante a Resolução do Parlamento Europeu sobre o sexagésimo aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, em 8 de maio de 1945, de 12 de maio de 2005,
- Ante a Resolução 1.481 da Assembléia Parlamentar do Conselho da Europa, de 26 de janeiro de 2006,
- Ante as resoluções sobre os crimes comunistas adotadas por vários Parlamentos nacionais,
- Ante a experiência da Comissão pela Verdade e a Reconciliação na África do Sul,
- Ante a experiência dos Institutos da Memória e os Memoriais na Polônia, Alemanha, Eslováquia, República Checa, Estados Unidos, o Instituto para a Investigação de Crimes Comunistas na Romênia, os museus da ocupação da Lituânia, Letônia e Estônia, assim como a Casa do Terror na Hungria,
- Ante as presidências atuais e futuras na UE e no Conselho da Europa.
- Ante o fato de que 2009 é o vigésimo aniversário da queda do comunismo na Europa Central e Oriental, assim como dos assassinatos em massa na Romênia e no massacre da Praça de Tianamen em Pekin,

Pedimos:

1. Chegar a um entendimento entre todos os europeus de que os regimes totalitários nazista e comunista devem ser julgados por seus próprios méritos terríveis, por ser destrutivo em suas políticas de maneira sistemática na aplicação das formas extremas de terror, da supressão de todos os direitos civis e das liberdades humanas, começando pelas guerras de agressão e, como uma parte inseparável de suas ideologias, o extermínio e a deportação de nações inteiras e grupos de população, e que como tais devem ser considerados os principais desastres que frustraram o século 20,

2. O reconhecimento de que muitos crimes cometidos em nome do comunismo devem ser qualificados como crimes de lesa-humanidade, de modo que constituam uma advertência para as gerações futuras da mesma maneira que os crimes nazistas foram julgados pelo Tribunal de Nüremberg,

3. A formulação de um enfoque comum a respeito dos crimes dos regimes totalitários, incluídos os regimes comunistas, e uma versão européia dos crimes comunistas, a fim de definir claramente uma atitude comum frente aos crimes dos regimes comunistas,

4. A introdução de uma legislação que permita aos tribunais de justiça julgar e condenar os culpados pelos crimes comunistas e compensar as vítimas do comunismo,

5. A garantia do princípio de igualdade de tratamento e não-discriminação entre as vítimas de todos os regimes totalitários,

6. A pressão européia e internacional para a condenação efetiva dos crimes do passado comunista e da luta eficaz contra os crimes comunistas em curso,

7. O reconhecimento do comunismo como parte integrante e horrível da história comum da Europa,

8. A aceitação por toda a Europa da responsabilidade pelos crimes cometidos pelo comunismo,

9. O estabelecimento de 23 de agosto, dia da assinatura do pacto Hitler-Stalin, conhecido como o Pacto Molotov-Ribbentrop, como um dia de lembrança das vítimas dos regimes totalitários nazista e comunista, do mesmo modo que a Europa recorda as vítimas do Holocausto em 27 de janeiro,

10. A reclamação aos Parlamentos nacionais para que reconheçam os crimes comunistas como crimes contra a humanidade, e modifiquem a legislação pertinente,

11. O debate público sobre o mal uso comercial e político dos símbolos comunistas,

12. A continuação das audiências da Comissão Européia com respeito às vítimas dos regimes totalitários, com vistas à elaboração de uma comunicação da Comissão,

13. O estabelecimento de comitês compostos por experts independentes nos Estados europeus que foram governados por regimes comunistas totalitários, com a tarefa de recolher informação sobre violações dos direitos humanos sob cada regime comunista totalitário em nível nacional, com o fim de colaborar estreitamente com o Conselho de Comitê de experts da Europa,

14. A elaboração de um claro marco jurídico internacional em relação a um acesso livre e irrestrito aos arquivos que contêm informação sobre os crimes do comunismo,

15. A fundação de um Instituto Europeu da Memória e da Consciência, que teria duas funções:

A) a de um instituto europeu dedicado à investigação dos estudos do totalitarismo, o desenvolvimento de projetos científicos e educacionais e o apoio à criação de redes de institutos de investigação nacionais especializados no tema da experiência totalitária,

B) e a de um museu memorial de âmbito europeu das vítimas de todos os regimes totalitários, com o objetivo de recordar as vítimas destes regimes e de dar a conhecer os crimes cometidos por eles,

16. A organização de uma conferência internacional sobre os crimes cometidos pelos regimes comunistas totalitários, com a participação de representantes de governos, parlamentares, acadêmicos, experts e associações, cujos resultados devem ser difundidos no mundo inteiro,

17. O ajuste e a revisão de livros de texto de história européia, para que as crianças possam aprender e ser advertidas sobre o comunismo e seus crimes, da mesma forma que se lhes ensinou a compreender os crimes nazistas,

18. A abertura de um amplo e profundo debate em toda a Europa sobre a história européia e a herança comunista,

19. A comemoração conjunta do 20º aniversário no próximo ano da queda do Muro de Berlim, do massacre da Praça Tianamen e da matança na Romênia.

Nós, os participantes da Conferência de Praga Consciência Européia e o Comunismo, nos dirigimos a todos os povos da Europa, a todas as instituições políticas européias, inclusive os Governos e os Parlamentos nacionais, o Parlamento Europeu, a Comissão Européia, o Conselho da Europa e outros órgãos internacionais pertinentes, e os exortamos a abraçar as idéias e as propostas enunciadas nesta Declaração de Praga, e a convertê-las em medidas práticas e políticas.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Organização e Desenvolvimento de Escolas Cristãs

Amanhã viajo a São Paulo, juntamente com um grupo de educadores de nossa igreja, a fim de participar do Curso de Organização e Desenvolvimento de Escolas Cristãs. Serão dois dias de intenso aprendizado.

O Curso será oferecido pela ACSI, Associação Internacional de Escolas Cristãs, em parceria com a Universidade Presbiteriana Mackensie.

Deus tem levantado líderes e educadores cristãos para abrir caminho no ministério da educação escolar, a fim de transformar vidas para Jesus Cristo. A necessidade é grande e as oportunidades imensas. Juntemo-nos ao nosso grande Deus para alcançar esta geração com uma educação sólida, fundamentada nas verdades transformadoras da Sua palavra.

Se você tem interesse em conhecer mais sobre esse projeto, acesse: http://www.acsibrasil.org/

A SÓS COM DEUS.

A SÓS COM DEUS é o título do excelente livro do pastor John MacArthur Jr. Publicado em maio desse ano pela Editora Palavra, esse livro faz parte de uma série de outros textos clássicos sobre a espiritualidade cristã. Leitura altamente recomendada para quem deseja crescer na arte da oração.
Já na introdução, somos impactados com uma penetrante declaração de J. Oswald Sanders sobre a oração:


"Nenhum exercício espiritual possui uma tão grande mistura de complexidade e simplicidade. É a forma mais simples de verbalização que os lábios infantis podem pronunciar, e, ao mesmo tempo, representa os mais sublimes esforços que atinge a Majestade nas alturas. É tão apropriada ao velho filósofo quanto à criancinha. É ao mesmo tempo a expressão de um momento e a atitude de toda uma vida. É a expressão do descanso da fé e do combate da fé. É agonia e fé. É submissa e ao mesmo tempo, importuna. Em um só momento ela nos aproxima de Deus e amarra o diabo. É capaz de focalizar um só objetivo, mas também pode percorrer todo o mundo. Pode ser uma humilde confissão ou uma arrebatada adoração. A oração reveste o homem insignificante de uma espécie de onipotência".



À luz de todas essas gloriosas verdades, "estar a sós com Deus deveria ser o maior desejo do cristão", diz MacArthur. Mas, lamentavelmente devemos reconhecer que é cada vez mais raro encontrar pessoas que se dedicam a estar a sós com Deus em oração. O Dr. Martin Lloyd Jones faz uma profunda radiografia da condição de muitos de nós cristãos.


"Por ser a mais elevada atividade da alama humana, a oração é ao mesmo tempo o teste definitivo da real condição espiritual do homem. Não há nada que reflita tanto a verdade a nosso respeito como povo cristão quanto a nossa vida de oração... Assim, o homem finalmente descobre a real condição de sua vida espiritual quando examina a si mesmo em particular, quando está a sós com Deus... E todos nós sabemos como é constrangedor descobrir que, de algum modo, temos menos a dizer a Deus quando estamos a sós do que quando estamos na presença de outros!" Martin Lloyd Jones



Vejamos o sumário desse instrutivo livro:


PARTE UM: A ATITUDE DA ORAÇÃO

1. Um coração firmado em Deus.
2. Buscando a Deus em secreto.



PARTE DOIS: O PADRÃO DA ORAÇÃO

1. Pai Nosso
2. Santificado Seja o Teu Nome
3. Venha o Teu Reino
4. Seja Feita a Tua Vontade
5. O Pão NOsso de Cada Dia, Dá-nos Hoje
6. Perdoa-nos as Nossas Dívidas.
7. Livra-nos do Mal.


PARTE TRÊS: A ORAÇÃO EM AÇÃO

1. Orando pelas Coisas Certas.
2. Orando pelos Perdidos

“Ao debruçar sobre esta obra, você redescobrirá o poder e a paixão que o tempo gasto com Deus pode trazer. Compreenderá que oração não é uma tentativa de fazer com que Ele concorde com você ou venha atender aos seus desejos, mas que ela é tanto uma afirmação da Sua soberania, retidão e majestade, quanto um exercício para conformar seus desejos e propósitos à Sua vontade e glória." Os editores.


Esse livro é um encorajamento para mantermos uma profunda vida de oração. Leia!!